sábado, 18 de janeiro de 2014

Resenha: Cinquenta Tons de Cinza de E.L. James

Título: Cinquenta Tons de Cinza   
Autor: E.L. James
Editora: Intrínseca
Páginas: 455
Gênero: Romance Adulto

ATENÇÃO: CONTEÚDO ADULTO! Pode conter spoilers!

   Já havia começado a leitura de Cinquenta Tons há um tempo, mas, se bem me lembro, a tradução que eu estava lendo era ruim e fez com que eu parasse a leitura. Há uns dias atrás peguei este livro novamente para ler porque amigos meus gostaram, e já os vi comentarem sobre ele, e eu que não havia lido, não podia comentar. Além disso, eles me disseram que a protagonista tinha alguns pensamentos que pareciam comigo falando. Enfim, por curiosidade eu resolvi pegar o livro e dessa vez lê-lo de cabo a rabo. 
   O livro conta sobre uma jovem garota de 21 anos, chamada Anastasia Steele que, para ajudar sua amiga Kate, entrevista um empresário rico para o jornal da faculdade, da qual ele é colaborador. Durante a entrevista ela percebe que além de rico Christian Grey é jovem, lindo, misterioso e controlador e uma atração surge entre os dois. Durante a narrativa a atração entre os dois só cresce e Ana e Christian se envolvem. O problema é que, Ana mal sabe o que é um beijo na boca e é virgem, e Grey, descobre-se mais pra frente, quer fazer dela sua escrava sexual. Ele quer um relacionamento puramente carnal com Ana e ela não tem certeza se é isso o que quer. Mais tarde, ela é apresentada ao mundo misterioso de Grey e os verdadeiros problemas começam.
   O livro é narrado em primeira pessoa. Portanto, a história é contada do ponto de vista da Anastasia. A narrativa de E.L. James é simples e a leitura flui. Mas achei também que a narrativa fica bastante repetitiva, o que chega a ser cansativo. Apesar da simplicidade do texto, este é um livro de conteúdo adulto como se pode ler na contra-capa do livro. Isto porque há cenas de sexo na maioria dos capítulos após a primeira noite dos protagonistas, o que é de se esperar, já que se trata de um livro erótico. As cenas são legais, mas no geral nem elas e nem a história de amor de Christian e Ana salvam o livro. A história de amor dos dois é clichê. A menina “pobre” que conhece um cara lindo e rico, eles se apaixonam...etc., mas essa não é a razão por eu não ter gostado. Talvez o modo como tudo foi contado simplesmente não tenha dado certo pra mim. Entendo todo o fascínio da Ana pelo Grey, talvez até entenda o fascínio dele por ela também, mas ainda assim, não achei muita graça no romance dos dois. 
   A forma como Anastasia e Christian se tratam, depois de um tempo começa a irritar, porque eles se tratam sempre como Sr. Grey e Srta. Steele. É sempre esse tratamento formal, a não ser quando eles se chamam de "baby", o que não ocorre muito. Até nos emails que enviam um ao outro eles se tratam formalmente. Espera-se que com o tempo de relacionamento eles venham a desenvolver um outro modo de tratamento, mas isso não acontece.
   A personalidade do Christian é irritante. Ele é extremamente controlador, tanto, que chega a ser quase insuportável. Claro que há um motivo, talvez mais de um, para que ele seja como é, mas ainda assim é extremamente chato. Isso fez com que eu torcesse contra o relacionamento dos protagonistas, e não a favor. O inconsciente da Ana, que é responsável por alguns pensamentos dela, no começo é engraçadinho, mas depois de um tempo começa a irritar também.
Uma personagem com quem simpatizei foi a Kate, a amiga com quem a Ana mora. Passei a ser "team Kate" quando ela enfrenta o Christian por causa da amiga. Kate é atrevida, tem uma personalidade forte e não gosta muito de Grey. Ponto pra ela!
   Cinquenta Tons de Cinza é, na minha opinião, somente entretenimento. A história não chega a proporcionar reflexões, nem ensinamentos.

   Classificação: **    




2 comentários:

  1. Nessa, como vai?
    Se eu te dizer, comecei a ler este livro... e de cara já detestei.
    Achei mt "na cara".
    A escrita não me agradou.
    E não gostei dos personagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, amore! Tudo bem e com vc?
      A escrita também não me agradou...não enxerguei nada demais. Também só simpatizei com a Kate, e ainda assim, só isso. A leitura não funcionou muito bem pra mim não. Até desisti de ler Sylvia Day. rs
      Obrigada pela visita! Beijo!

      Excluir