segunda-feira, 27 de maio de 2013

Devaneio Poético: Sobre Djavan e Poesia

  E é ao som dele, Djavan, que escrevo essas linhas. E assim foi que tive a ideia de falar de poesia. Aliás, como não pensar nisso quando você escuta: “E todas as horas que o tempo tem pra me conceder, são tuas até morrer”?
  Eu sempre gostei de poesia. Tenho um livro bem antiguinho chamado: “Mistura de Palavras” que sempre lia quando era mais nova. Eu ficava viajando naquelas palavras...construindo na minha imaginação tudo o que eu lia.
   Todas as letras do Djavan, que conheço, são poéticas e toda vez que eu ouço a música com aquele sentido mais aguçado, eu sinto algo que é até difícil de explicar...é um sentimento que te faz pensar: “Meu Deus, como isso é bonito!” e chega até a emocionar. Vocês também sentem isso?
   Até agora falei da poesia cantada, que envolve não só a letra, mas a melodia, as duas em conjunto. Mas e a poesia escrita? Aquela que não envolve melodia (no sentido de música) mas que nos toca e emociona da mesma maneira que a poesia cantada?

Poesia: 1 arte de compor ou escrever versos 2 gênero literário em forma de versos 3 pequena composição em verso; poema 4 fig. O que desperta o sentimento do belo.
Fonte: Houaiss

   Pois bem, poesia é um gênero literário, um texto escrito em versos e algo que desperta o sentimento do belo (como eu havia dito sobre o que sinto quando escuto Djavan). Mas há um só tipo de poesia?
   A poesia/ poema já é um gênero literário, mas ela é dividida em três outras partes chamadas gêneros poéticos. São eles:

  • Gênero Lírico – é a expressão dos sentimentos de uma pessoa.
  • Gênero Épico – inspirações das proezas realizadas em guerras na Idade Média. Ex: Ilíada e Odisséia.
  • Gênero Dramático – são os textos teatrais.

   Eu sou mais gênero lírico. Gosto muito de Florbela Espanca e Caio F., que apesar de não ter textos em forma de poesia, ao meu ver,  escrevia de maneira bastante poética. Já li algo do gênero épico mas faz tanto tempo que não posso nem dizer se gosto ou não. Também já li alguma coisa de gênero dramático e dependendo do texto eu gosto sim. Me lembro que na faculdade nos passaram “Ópera do Malandro” e se não me engano “Medéia”. Destas duas últimas eu gostei.

   Vou ficando por aqui, espero que tenham gostado do post meio nada a ver...rs 
Como diz o título, devaneio né! :)


Beijos,

4 comentários:

  1. "...te adoro em tudo, tudo, tudo....quero mais que tudo, te andar sem limites..."
    Como assim meu annie texto nada a ver?! Eu li suas palavras e me identifiquei em tudo (para variar) rss...
    Amoo poesia, acho que não há forma mais bonita de expressar sentimentos, Djavan é uma posição que aprendi ainda quando criança com o meu pai, senhor seu tio, rss. Sempre ouvi e a música revela muito da gente para nos mesmos, a cada momento da vida é possível traduzir uma mesma coisa de formas diferentes, e essa mágica que se passa no coração realmente não há como definir em palavras. Parabéns twin amei este post...sou suspeita né, luca por poesia w por você. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É...pra variar, minha twin se identificando comigo! hauhauha Adoro, sempre!
      Também amo poesia, e Djavan, e você...e uau você tem que saber que me surpreende sempre também! Escreve tão lindo quando usa o coração! :)
      Obrigada pelos parabéns e por sempre estar me incentivanto, sua linda!
      Beijãooo! <3

      Excluir
  2. Nossa, eu amo as músicas do Djavan,
    tem um lirismo e uma poética perfeitas!
    Adorei esse post!

    Beijos
    Endless Poem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sarah! Como não amar Djavan né? rs
      Que bom saber que vc gostou, fico muito feliz!
      Obrigada pela visita, volte mais!
      Beijos!

      Excluir